Funções do setor saúde

Funções do setor saúde

2.2 - Organização

2.2.2 - Integração setorial e multissetorial

O setor saúde é um dos atores principais tanto na redução de risco de desastres como na assistência humanitária. Por isso é preciso estabelecer mecanismos de integração com todas as instituições do setor saúde e assegurar uma adequada coordenação com os outros setores que conformam o sistema nacional de gestão de risco de desastres.

A participação do setor saúde na elaboração dos planos nacionais de redução de riscos permitirá que se dê prioridade, no âmbito multissetorial, à segurança dos serviços de saúde. Por outro lado, considerando-se que saúde é um dos serviços indispensáveis à comunidade, a contribuição do setor saúde no desenho e elaboração dos planos de resposta contribuirá para proteger e recuperar a saúde e a vida da população afetada.

Uma boa prática é manter uma base de dados de todas as instituições nacionais e internacionais que operam no país em temas relacionados com a redução de riscos e a resposta em casos de desastre. A experiência aponta como positivo desenvolver acordos e estabelecer relações de trabalho condizentes com a obtenção de uma adequada coordenação desde os períodos anteriores à ocorrência de desastres. Esperar que uma coordenação adequada seja ativada somente quando ocorre um desastre, sem conhecimento prévio das capacidades operativas de todos os atores, pode conduzir à desorganização e ao caos durante as respostas. A coordenação não se improvisa, e quanto mais preparada nos períodos anteriores aos desastres, mais adequada será.

De maneira específica, a estrutura técnica do setor saúde encarregada de atuar nas emergências deve manter uma relação de coordenação constante como organismo multissetorial responsável pelas respostas aos desastres, tanto em nível nacional como nos níveis intermediários e locais. Participar ativamente dos programas de redução de riscos intersetoriais fortalece a capacidade de coordenação nas respostas aos desastres.