Ceensp explora fragilidades e potências das redes de urgência no país

Ceensp explora fragilidades e potências das redes de urgência no país
O processo de implantação da atenção pré-hospitalar no Brasil será o tema do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos desta quarta-feira (13/7), atividade que terá participação das pesquisadoras da ENSP Gisele O' Dwyer, coordenadora do Projeto Teias - Escola Manguinhos, e Luciana Dias Lima, do Departamento de Administração e Planejamento em Saúde.

Annalu Pinto da Silva.

Ceensp explora fragilidades e potências das redes de urgência no país

Fonte: Portal Ensp

O processo de implantação da atenção pré-hospitalar no Brasil será o tema do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos desta quarta-feira (13/7), atividade que terá participação das pesquisadoras da ENSP Gisele O' Dwyer, coordenadora do Projeto Teias - Escola Manguinhos, e Luciana Dias Lima, do Departamento de Administração e Planejamento em Saúde. Marcado para as 14 horas no salão internacional, o Ceensp apresentará os resultados da pesquisa O processo de implantação da urgência pré-hospitalar no Brasil, desenvolvida no âmbito do edital Inova ENSP, que analisou as fragilidades e potências das redes de urgência nos estados brasileiros. O Ceensp é aberto ao público, não necessita de inscrição prévia e será gravado pelo Núcleo Audiovisual da ENSP.

A pesquisa teve o objetivo de analisar o processo de implantação da atenção à urgência pré-hospitalar no Brasil, e, na opinião de Gisele O’ Dwyer, coordenadora do projeto e palestrante do Ceensp, as configurações diversas das redes de urgência nos estados demonstram a importância do estudo. "Não havia regulamentação para a urgência pré-hospitalar até o início dos anos 2000. A partir de então, houve uma reconfiguração da rede de urgência com o Samu e UPA, que apresentam configurações diversas”, comentou.